quarta-feira, 24 de março de 2010

O Homem Não É Uma Ilha - 1º Ano

Este texto é encaminhado para todos os 1ºs anos do Alfredo Cardoso, João Guidotti e Mello Ayres.

Ele faz parte da busca em perceber que o homem é um ser social.

Texto retirado do blog:
http://sociologiaeducacional.blogspot.com/2006/01/o-homem-no-uma-ilha.html


O HOMEM NÃO É UMA ILHA

O homem não é uma ilha. Ninguém vive só. A ação humana é uma ação coletiva. Não há um ser humano verdadeiramente solitário, ermitão ou Robinson Crusoé (Defoe) ou como vimos protagonizado por Tom Hanks, em O náufrago.
O homem é essencialmente sociável: sozinho não poderia vir ao mundo, não poderia crescer, não poderia educar-se; sozinho não poderia satisfazer suas necessidades mais elementares, nem realizar suas aspirações mais elevadas; ele somente pode obter isto em companhia dos outros.
Desde o aparecimento sobre a terra, encontramos sempre o homem vivendo em grupos sociais – a família, o clã, a tribo, a aldeia, a cidade, o Estado. A sociabilidade humana hoje tem um horizonte ilimitado, de nacional tornou-se internacional e assume proporções planetárias.
O comportamento humano é modelado na vida em sociedade de acordo com as relações entre as pessoas, que estabelecem as regras de conduta e os valores que norteiam a vida social, econômica e política.
Ao nascer, a criança encontra o mundo de valores já dados, e onde ela vai se situar. A língua que aprenderá, a maneira de se alimentar, o jeito de se sentar, andar, correr, brincar, o tom da voz nas conversas, as relações familiares, tudo (ou quase tudo) enfim se acha codificado ou rotinizado.
O corpo humano é envolto em panos desde os primeiros dias de nossas vidas em nome de valores (sexuais, amorosos e estéticos). Veste-se, come-se, pensa-se, não como cada um gostaria de se vestir, comer ou pensar, mas como a maioria o faz. Os sistemas de controle da sociedade aprisionam o indivíduo numa rede aparentemente sem saída.
Como só é possível a vida em sociedade, há o risco de perdermos a liberdade e de não sermos autênticos. A verdade é que o homem, ao mesmo tempo em que é um ser social, também é uma pessoa, isto é, tem uma individualidade que o distingue dos demais. Por este motivo, o homem move-se continuamente entre a contradição e sua resolução.
A sociedade é a condição da alienação e da liberdade. É a condição para o homem se perder, mas também de se encontrar.

Saboreiem bem o texto e respondam as questões!!!

2 comentários:

  1. Muito interessante o texto mostra como
    a vida social é importante!

    ResponderExcluir